quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Gaston Bachelard

Quem foi
Gaston Bachelard nasceu em 27 de junho de 1884, em Bar-sur-Aube, França e faleceu a 16 de outubro de 1962, em Paris, França. Foi um filósofo e poeta francês que estudou sucessivamente as ciências e a filosofia. Seu pensamento está focado principalmente em questões referentes à filosofia da ciência.
Obstáculo epistemológico
O seu contributo fundamental foi ter analisado os obstáculos epistemológicos que existem no próprio interior do pensamento, nas profundezas do inconsciente, muitas vezes culturais, do psiquismo. Desse ponto de vista, A Formação do Espírito Científico e A Psicanálise do Fogo, que datam do mesmo ano (1938) são as mais instrutivas. A sua obra é uma ajuda preciosa para desmontar o mecanicismo, a ciência espetáculo, a análise fragmentada, a redução ao simplismo, a noção estática da matéria, à qual correspondem os conceitos deturpados. Bachelard convoca a filosofia do não para marcar o seu contributo para uma dialéctica do conhecimento que se opõe a uma concepção deturpada da razão. Designa o pensamento como um sobreracionalismo. Alguns historiadores e filósofos das ciências criticam-no hoje em dia, pela audácia das suas formulações. Mas isso é esquecer que o pensamento de Bachelard não tem nada de académico e que ele é voluntariamente polémico, na sua vontade pedagógica de denunciar os bloqueios, os «erros e os horrores» da razão.
Ao procurar definir as condições de formação do espírito científico, Bachelard apresenta a ciência como um trabalho de ruptura face a representações, hábitos de pensamento, conhecimentos não criticados, a que ele chama obstáculos epistemológicos.
Os obstáculos da ciência são o medo de errar, senso comum, falta de imaginação, falta de recursos, a hierarquia.
Obras
O Novo Espírito Científico (1934), A Formação do Espírito Científico (1938),Psicanálise do fogo (1938),  A Água e os Sonhos (1942), O Ar  e os  Sonhos (1943), A Terra e os Devaneios da Vontade (1948), O Materialismo Racional (1953),A Poética do Espaço (1957) e A Poética dos Devaneios (1960), etc.
Algumas frases
“Todo o conhecimento é uma resposta a uma pergunta.”
“O real não é nunca aquilo em que se poderia acreditar, mas é sempre aquilo em que deveríamos ter pensado.”
“Quem acha sem procurar é quem longamente buscou sem encontrar.”
“A imaginação não é mais do que a pessoa arrebatada nas coisas.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário